Algo A Dizer
Algo a Dizer
 

Proibido para salva vidas

Por Jorge Nagao

Boa noite, é da CV...

— Sim, minha linda. Quantos dias livres a minha querida tem?

— Uma semana. Se a minha vida não melhorar em uma semana...

 — Uma semana, amor, temos várias opções como Disney, Chile, Argentina e Uruguai...

— Pode parar, não sei falar Inglês, nem Espanhol, moço, mal falo o Português.

— Então, que tal as cidades históricas de Minas, o Rio de Janeiro, o Nordeste? Diga, fofa.

— Quero morrer...

— Morrer de rir? Então, o Ceará cai como uma uva madura pra você. Na terra de Chico Anysio e Renato Aragão, toda noite tem show pra você gargalhar galhardamente, humoreco.

— Sabe que nasci lá e nunca mais voltei?

— Então, amor, está na hora de você voltar pra sua terra natal.

— Natal, não, Fortaleza. Sai caro?

— Em 10x no cartão, não pesa no bolso de ninguém.

— Onde você está?

— Aqui no shopping ABC. Meu nome é Agnaldo, me procure.

— Não sabia que a CVV estava num shopping vendendo viagem aos deprimidos.

— CVV? Não, sou da CVT, a maior agência de viagem do pais.

— CVT? A CVV mudou de nome?

— Não, minha deusa, CVT é pra curtir a vida e CVV é pra salvar vidas.

— Agnaldo, me desculpe, foi engano.

— Não, não, você vai pra Fortaleza. Já estou agendando pra você, maravilhosa.

— Me desculpe. Estou dopada. Tomei meia caixa de comprimidos antes de ligar pra você.

— Ah, meu amor, não faça mais isso. Pensando bem, a vida tem mais coisas boas que ruins. Como está a sua saúde?

— Tá boa, o problema...

— Saúde é o que interessa, o resto não tem pressa, não era isso que dizia aquele aluno da escolinha, minha querida.

— Mas, veja bem, sou viúva, até que tenho uma bela pensão porque meu finado marido foi um militar graduado e minha aposentadoria de professora, porém não tive filhos, vivo muito só.

— Percebo que a minha fofa é muito sensível e inteligente, e está precisando de mudar de ares por uns tempos para reencontrar a sua paz. Viaje, querida.

— Nunca viajei. Viajar é caríssimo diga-se de passagem. Sempre evitei as prestações com medo de ficar endividada. Fiquei com fama de pão-duro e minhas amigas se afastaram de mim.

— Se elas te abandonaram é porque não eram amigas de verdade. Numa viagem, faz-se muitos amigos, não falo por mim, mas pelos clientes que vêm para me agradecer por isso.

— Você deve ser mesmo da CVV pois está perdendo o seu tempo ouvindo os meus lamentos.

— Não, sou da CVT, mas gosto de ouvir as pessoas e de me colocar na posição delas. Nós estamos no barco da vida pra viver e não pra sofrer, meu amor.

— O meu barco está encalhado, Agnaldo.

— Basta sorrir que desencalha.

— Rá rá... Há quanto tempo eu não ria. Você é fogo! Agradeço muito a sua atenção, Agnaldo. Vou passar aí no shopping para te dar um abraço.

— Venha mesmo, querida, será um grande prazer te conhecer pessoalmente.

— Tchau!

— Tchau, linda!

No dia seguinte, ela, Maria do Socorro, foi ao shopping para conhecer o Agnaldo. Depois foi à Fortaleza e fez alguns amigos. Viajou com eles do Oiapoque ao Chuí. Resolveu estudar Inglês e Espanhol e caiu no mundo. Curtiu de Nova Iorque a Paris. Quem diria que uma ligação errada daria numa ligação certa para uma nova vida. Grande Agnaldo! Salve a vida!

Jorge Nagao é escritor e jornalista

Envie seu comentário:
Nome:*
Email:**
Comentário
Imagem de verificação

*Campo obrigatório
**O e-mail não é obrigatório e não será exibido no comentário
Comentários
  eleonora
05/11/2013

Maravilhosa crônica!!!! E olha que abri por engano. hahahahahahah
 
  Valéria S. Dantas Lopes
22/11/2013

Muito bom. Adorei. Achei que ela se apaixonaria pelo Agnaldo e vice-versa. Mas o final também foi feliz. E você, cada vez melhor na escrita, no humor, nas ideias. Parabéns, JN! Beijos, Valéria Lopes
 
 

contato@algoadizer.com.br | Webmaster: Marcelo Nunes | Design - Pat Duarte