Algo A Dizer
Algo a Dizer
 

Soneto herético

Por Luca Barbabianca

 

Como em um festim de sexo e veneno

entra a tal viúva alegre e libertina;

vê-se metida a estrofe fescenina

entre o verso engraçado e o obsceno.

 

Poema não há capaz de ser o dreno

que extraia do confete a serpentina,

tal faz a vida que, de uma menina,

tira a vadia, e a deixa no sereno.

 

Portanto, se ao virares uma esquina,

vires da virgem vadia um doce aceno,

lembra da santa, esquece a messalina;

 

pois que a igreja já afirmou, de pleno,

dos prodígios provados: sem bolina,

dela nasceu o próprio Nazareno.


Luca Barbabianca é poeta e cronista. Seu blog é o lucabarbabianca.zip.net e sua verve pode também ser apreciada, sem moderação, no recantodasletras.com.br

Envie seu comentário:
Nome:*
Email:**
Comentário
Imagem de verificação

*Campo obrigatório
**O e-mail não é obrigatório e não será exibido no comentário
Comentários
  Afonso Guerra-Baião
31/08/2017

Mais um grande soneto pra coleção!
 
  Maria José Lindgren AlvesVENTURI ASPERTI
31/08/2017

Gostei muito. Ótimo poema herético.
 
 

contato@algoadizer.com.br | Webmaster: Marcelo Nunes | Design - Pat Duarte