Algo A Dizer
Algo a Dizer
 

TCC

Por Marilena Montanari

É sempre um prazer quando os filhos concluem o curso superior. E um alívio, após o sofrimento e as agruras da elaboração, ver finalmente pronto o Trabalho de Conclusão de Curso, o famigerado TCC.

Nessa sexta-feira, meu filho mais novo, Lucas, apresentou seu relato de estudos para encerrar com maestria o curso de Biologia. Todo afeito a rituais, ele me convidou para tomar um café completo no Tahitian Café, na Paulista, antes da apresentação. Ficamos quase duas horas saboreando frutas e guloseimas, conversando e repassando os pontos principais de sua dissertação.

Ele veio estudando uma espécie de pitu que só existe na Lagoa do Prumirim, em Ubatuba, onde temos uma casa. Assim, ele uniu o útil (a pesquisa) ao agradável (a praia).

Até aí, nada de mais. Só que, ao revisar o trabalho (interferi o mínimo possível), precisei passar pelos agradecimentos. Não resisti. Mais do que um texto acadêmico, o Lucas fez um relato recheado de emoção e poesia que faço questão de reproduzir aqui.

Esse mesmo Lucas, chamado até pelos professores de Túti, já ganhou um prêmio internacional com seus escritos, promovido pelo canal Discovery Kids para a América Latina. Mas essa história fica para uma próxima crônica.

Segue o texto que desejo compartilhar com todos. Uma observação: "a velha anta do rio", meu marido, é uma versão carinhosa de água doce do "velho lobo do mar"...

Obrigada.

"Agradeço à Universidade Presbiteriana Mackenzie, ao CCBS, professores e funcionários do curso de Ciências Biológicas pelo ótimo curso de graduação que me ofereceram.

Agradeço muito à minha orientadora e amiga Maria Helena de Arruda Leme, pela oportunidade de iniciar minha carreira científica, me apoiar e acreditar na minha pesquisa, onde muito aprendi e muito mais ainda vou aprender, com certeza. Obrigado também equipe do laboratório pelo apoio durante o trabalho.

Agradeço aos Professores Dr. Gustavo de Melo Filho e Dr. Emerson Mossolin, pessoas que admiro muito, por terem aceitado participar desse trabalho e pelo conhecimento e paixão que me proporcionaram pelo mundo dos crustáceos.

Agradeço ao PIBIC/MackPesquisa, pelo apoio financeiro na realização desse trabalho.

Agradeço à mãe Terra, ao pai Sol, aos elementos e seres da Natureza, bela e cheia de mistérios que me fascinam cada dia mais. Enchem-nos de vida, renovam as energias, curam, acolhem, inspiram, parte da grande família que é o mundo, de que todos fazemos parte e devemos nos respeitar.

Agradeço demais à "Velha anta do rio", meu pai, pelo contato com o mundo natural, as vivências no mato, por me mostrar o mundo fascinante da ciência e me dar o gosto de desbravar seus mistérios.

Agradeço à minha Deusa, minha mãe, minha Luz, minha curandeira. Conectados desde antes de eu nascer, me dando carinho, amor, me mostrando que é no escuro que estão as estrelas mais brilhantes.

Agradeço aos meus irmãos Felipe, meu ídolo inspirador, o verdadeiro ser da arte, que já nasceu com o instinto de "bicho-do-mato", meu professor da vida, e Henrique, meu outro lado, que me ensinou a cuidar de mim mesmo e de meus desafios, deixando pequenas as barreiras que encontro na vida. Obrigado meu sobrinho Max, por toda a alegria e amor que reacendeu em nossas vidas. Obrigado vovós e vovôs, pela raiz dessa família linda. Amo vocês.

Agradeço ao meu amor, "Prizinha", que baila na minha vida me trazendo alegria cada segundo mais, e pela força que precisava na minha reta final do curso, "Sawabona". Amo-te.

Agradeço a toda "família" que está na minha vida, irmãos de alma que me fazem ser quem eu sou: Amigos da faculdade, principalmente aos eternos 405, é Biohorror! Ao Marquinhos, Felipinho, Cabelo, Neh, Bia, Carol, Comprido, Ramon, entre outros, que juntos tentamos unir e transformar o mundo.

Agradeço à comunidade do Prumirim, praia mais linda do mundo, pela força e paz para a realização desse trabalho. Obrigado Miro, Neide, Wellington, Lúcia, pai, Camila Dias, Joninhas, pela ajuda nas coletas.

Finalmente, agradeço aos "pitus" sacrificados para a realização desse trabalho. Infelizmente, este é o jeito que há de trabalhar a favor de sua preservação e desse lindo lago. Com certeza o sacrifício não foi em vão, perdão."

Lucas de Lauro Montanari

Marilena Esberard de Lauro Montanari é mestre em Comunicação e Semiótica pela PUCSP. Tem artigos espalhados em revistas e folhetins; atua em empresas como consultora para a produção de textos e instrutora de cursos de Redação e Gramática. Publicou o fichário SOS-Língua Portuguesa, em parceria com Edna Maria Barian Perrotti

Envie seu comentário:
Nome:*
Email:**
Comentário
Imagem de verificação

*Campo obrigatório
**O e-mail não é obrigatório e não será exibido no comentário
 

contato@algoadizer.com.br | Webmaster: Marcelo Nunes | Design - Pat Duarte